Fale com o SINDEGTUR SP

  • Wix Facebook page

Fale com as Delegacias Regionais

O Sindegtur SP possui diretorias regionais espalhadas pelo Estado, que orientam agências, operadoras e passageiros e promovem o trabalho dos Guias de Turismo.

Diretoria Regional Litoral Sul

Diretor: Antonio Carlos Santos de Carvalho

Contato: SindegTurSPLitoralSul@gmail.com

Comunicados

Abertura de inscrição de Chapas para o triênio 2020/2022

11/09/2019

O Sindegtur SP informa que estão abertas as inscrições de Chapas para eleições da Gestão 2020/2022 do sindicato. As inscrições ficam abertas até 11/11/2019 às 12h, e devem seguir os critérios abaixo:

10 Integrantes do Conselho Deliberativo:
1 Presidente
1 Vice Presidente
1 Suplente de Vice Presidente
1 Vice Presidente Tesoureiro
1 Suplente de Vice Presidente Tesoureiro
5 demais integrantes do Conselho Deliberativo

6 Integrantes do Conselho Fiscal:
3 Conselheiros
3 Suplentes

Todos os integrantes devem ter ao menos 3 anos ininterruptos de filiação, não ter sofrido nenhuma penalidade nos últimos 5 anos e estar quite com todas as contribuições. Todas as regras e orientações para formação de chapas e procedimento das eleições podem ser consultadas no Estatuto do Sindegtur SP. Clique aqui para ver o Estatuto.

As eleições serão realizadas em 11/12/2019.

Esclarecemos que a participação de toda a categoria é fundamental, não somente na formação das chapas como também na discussão e debates sobre os próximos representantes. Participe e incentive a formação de chapas, pois a diversidade de ideias e propostas é o caminho mais saudável para o crescimento e fortalecimento da profissão de Guia de Turismo e do mercado.

Contribuição Associativa 2019

03/01/2019

Contribuição Associativa 2019
 

Caros Guias de Turismo,

Já está disponível o sistema para pagamento da Contribuição Associativa 2019 (apenas para filiados ao sindicato).

Desde este ano de 2018 não enviamos mais boletos de cobrança da Contribuição Associativa, sendo que cada Guia de Turismo associado deve entrar em nosso site pelo link abaixo para realizar o pagamento. As formas de pagamento são:

- Cartão de crédito parcelado em até 5 vezes sem juros (parcelamento maior com juros)
- À vista por boleto bancário ou transferência bancária com desconto de 8,38%.

O prazo para pagamento pelo site é até 10 de fevereiro de 2019, e o valor permanece o mesmo: R$ 290,00.

Clique aqui para realizar o pagamento 
(
https://www.sindegtursp.com.br/contribuicaoassociativa)


Aos Guias de Turismo filiados que estão com Contribuições Associativas em aberto de anos anteriores devem entrar em contato com o sindicato para regularizar a situação, pois o não pagamento poderá incorrer em cobrança judicial.

Imposto Sindical (GRCSU)

27/09/2018

Informamos aos Guias de Turismo que o Imposto Sindical (GRCSU) é de pagamento obrigatório até o ano de exercício 2017. Deve ser pago, inclusive, para realizar a renovação da Credencial de Guia de Turismo junto ao Cadastur. O pagamento a partir do ano de 2018 é facultativo, conforme nova legislação trabalhista.

Aos Guias de Turismo que não pagaram este imposto até 2017 ou pagaram em valores diferentes do estabelecido (R$ 140,00) poderão ser cobrados judicialmente.

Deliberações da Assembleia Geral Ordinária do Sindicato Estadual dos Guias de Turismo de São Paulo

07/02/2018

Prezados Guias de Turismo,
 

Conforme Assembleia Geral Ordinária, realizada no dia 07 de Fevereiro de 2018 (quarta-feira), na sede do Sindegtur SP, ficaram deliberados os seguintes itens:
 

1: Tabela Referencial de Remuneração 2018:
Foi deliberado um reajuste de cerca de 5% (considerando um arredondamento de valores quebrados), apenas para trabalhos nacionais. Clique aqui para ver os novos valores.
 

2: Convênio com o SESC SP e demais benefícios:
Apresentação dos convêncios existentes e orientações sobre o funcionamento do convêncio com o SESC SP. Aguardem orientações por e-mail para o recebimento da carteirinha de associado ao Sesc pelo Sindegtur SP.
 

3: Contribuição Sindical Urbana (Imposto Sindical 2018):

O valor não foi alterado, permanecendo em R$ 140,00 por ano. Clique aqui para solicitar a GRCSU.

4: Contribuição Associativa 2018:
Valor alterado para R$ 290,00 por ano, podendo ser pago à vista com desconto de 10% ou parcelado. O Sindegtur SP informará as novas formas de pagamento em breve.
 

5: Fenagtur e CBGT 2018:
Orientações para o Congresso Brasileiro de Guias de Turismo a ser realizado neste ano em maio, na cidade de Foz do Iguaçu/PR. O Sindegtur SP está negociando a possibilidade de um ônibus para os Guias de Turismo, com valores mais acessíveis. Clique aqui para ver a programação do Congresso.
 

6: Fiscalizações 2018:
Foi apresentada a forma de realização das fiscalizações, agora com o apoio da DEATUR.
 

7: Planejamento das ações para 2018:
Será dada continuidade às atividades de Visitas Técnicas, cursos, palestras e encontros, bem como a estruturação das Diretorias Regionais, campanhas de valorização da profissão e a captação de novos filiados.

Comunicado FENAGTUR

Text.18/12/2017

Segue abaixo o comunicado expedido pela FENAGTUR (Federação Nacional de Guias de Turismo)

 

Caros Guias de Turismo,

 

Chegamos ao fim de mais um ciclo, e nos preparamos para um próximo ano com espírito de renovação e energia para mais conquistas.

A nova diretoria da Fenagtur já iniciou os trabalhos de algumas de suas principais metas, e entre as mais urgentes está a reestruturação e fortalecimento dos Sindicatos. O suporte, apoio e valorização aos Guias de Turismo é extremamente dependente do bom funcionamento das entidades sindicais, e temos plena consciência de nossa responsabilidade neste quesito.

Contudo, também acreditamos que um Sindicato é a união de profissionais. Mesmo com uma diretoria, a entidade sindical só tem sucesso com apoio da categoria, e este apoio não pode ser apenas virtual. Participar das assembleias, defender as propostas, cumprir a legislação e contribuir com os sindicatos são ações que os Guias de Turismo devem ter para evitar o enfraquecimento do único órgão que realmente se preocupa com nossa profissão.

As políticas públicas do Governo Federal nos últimos tempos tem buscado enfraquecer os trabalhadores e as entidades que os representam. A omissão do Ministério do Turismo na fiscalização e controle evidencia a necessidade dos sindicatos tomarem para si essa responsabilidade.

A reforma trabalhista, desobrigando o Imposto Sindical, busca sucatear os sindicatos e assim abafar as demandas dos profissionais.

Com o enfraquecimento dos Sindicatos, os Guias de Turismo são os únicos que perdem:

  • Quem vai fazer as fiscalizações que o MTur não faz?

  • Quem vai definir as tabelas de remuneração para o mercado?

  • Quem vai articular melhores condições de trabalho para o Guia de Turismo?

  • Quem vai representar o Guia de Turismo junto à gestão pública?

 


Lembre-se: Associações, Convention Bureau, Grupos de Guias pelo Brasil não possuem representatividade legal de categoria; juridicamente, não têm escopo para certas decisões. Mesmo que você, Guia de Turismo, não reconheça a força do Sindicato do seu Estado, tente imaginar o que é não ter um Sindicato. O fechamento dos Sindicatos (e consequentemente da Federação) significa um total abandono do Guia de Turismo, e a perda de muitas conquistas já realizadas.

Valorize sua categoria!

Desejamos um feliz natal e um próspero 2018, com muito trabalho e sucesso!

Federação Nacional dos Guias de Turismo.

Imposto Sindical - Renovação da Credencial

13/11/2017

De acordo com a nova legislação trabalhista, a princípio não será mais obrigatório o pagamento do Imposto Sindical (GRCSU) a partir do ano de 2018. Contudo, o Cadastur continuará requisitando o comprovante de pagamento do Imposto Sindical de anos anteriores, bem como do ano de 2017, já que a data base (data correta para pagamento) é até 28 de fevereiro de cada ano.

Quem não pagou o Imposto Sindical deverá pagar ainda este ano, evitando acumular os pagamentos para a renovação.

Para solicitar a emissão do Imposto Sindical, clique aqui.

ATENÇÃO: A Caixa Econômica Federal alterou o sistema de emissão de GRCSU. A partir de agora, as guias emitidas terão vencimento no mesmo dia. Não há mais como colocar um prazo para pagamento. Ao emitir a GRCSU, o vencimento será no mesmo dia.

Ofício - Prefeitura de Santos

14/11/2017

A Prefeitura de Santos, através de sua Secretaria Municipal de Turismo, por iniciativa de reuniões do Sindegtur SP e apoio de demais colaboradores, emitiu um ofício orientando as empresas de turismo sobre a necessidade da contratação do profissional Guia de Turismo, enfatizando a problemática do Exercício Ilegal da Profissão e a possível interrupção de passeios com condutores ilegais.

Nova Diretoria da Federação Nacional de Guias de Turismo - Fenagtur

10/11/2017

Realizou-se no dia 09 de novembro de 2017, na Assembléia Geral Ordinária da Federação Nacional de Guias de Turismo - Fenagtur, as eleições para definição da diretoria 2017-2020. Ficou eleita a seguinte mesa diretora:

PRESIDENTE: ALEXANDRE HENRIQUE DANTAS – SINGTUR-AL 

VICE-PRESIDENTE SECRETÁRIA: ADRIANA GRADIM PERDIZA – SINDEGTUR-SP 

SUPLENTE DA SECRETÁRIA: SILVANA LEITE DE SANTANA RÓS – SINGTUR-BA 

VICE-PRESIDENTE TESOUREIRO: WILSON LESSNAU JUNIOR – SINDEGTUR-PR 

SUPLENTE DO TESOUREIRO: SIDNEI DOS REIS – SINGTUR-FOZ 

 

CONSELHO FISCAL EFETIVO: 

NELCIRO ALFONSO KLEINSCHMITT – SINGTUR-FOZ 

MARCOS ANTONIO ALENCAR DA SILVA – SINGTUR-PB 

SHIRLEY NOVAES BACELAR – SINGTUR-MG 

 

SUPLENTES CONSELHO FISCAL: 

HERALDO FARIAS DE PAIVA – SINGTUR-PB 

THIAGO EDUARDO FREITAS BICALHO – SINGTUR-MG 

DAVID CAROLLA – SINDEGTUR-SP

ENVIO de BOLETOS da CONTRIBUIÇÃO ASSOCIATIVA 2017

23/05/2017

Caros Guias de Turismo,

Em 23/05/2017 foram enviados por e-mail os boletos da Contribuição Associativa 2017 (apenas para Guias de Turismo Sindicalizados).

Por favor, verifique em sua caixa de e-mail, caixa de Spam ou Lixo Eletrônico, para não perder o prazo para pagamento:
- 12/06/2017: pagamento da primeira parcela (na opção parcelado) e pagamento à vista com desconto.
- 30/06/2017: pagamento à vista sem desconto
- 12/12/2017: pagamento da segunda parcela (na opção parcelado).

Os boletos da segunda parcela foram enviados junto, portanto programe o pagamento para Dezembro/2017. 


Observações
- Aos que se filiaram após janeiro/2017, foi cobrado valor proporcional;  

- Apenas emitimos boletos para quem está quite com os anos anteriores;  

- Quem não está quite com os anos anteriores poderá pagar os débitos via depósito bancário, para depois emitirmos os boletos 2017. ENTRE EM CONTATO CONOSCO PARA REGULARIZAR SUA SITUAÇÃO.

- Quem não quitar os débitos de anos anteriores poderá ser cobrado judicialmente;  

- Não podemos reemitir boletos vencidos ou alterando a forma de pagamento. Uma vez emitidos, deverão ser pagos na forma realizada;

Eleições - Inscrição de Chapas | Sindegtur SP

29/11/2016

Eleições Sindegtur - Inscrição de Chapas
 

Caros Guias de Turismo,

Conforme informativos enviados no mês de Novembro/2016, encerraram-se as inscrições para as chapas concorrentes para eleições da diretoria do Sindegtur SP, triênio 2017-2019.

Com a apresentação de apenas uma chapa, União:
 

Diretoria:
Presidente: Adriana Gradim Perdiza

Vice Presidente Secretário: Vilton Giglio

Suplente Vice Presidente Secretário: Sergio Henrique Silva

Vice Presidente Tesoureiro:  David Carolla

Suplente Vice Presidente Tesoureiro: Eduardo Felix Villanueva


Conselho Deliberativo:

Carina Calderari

Marcos Santiago

Ronaldo Sales de Lima

Monica Mantovani Goulart

Anna Maria Teixeira Carneiro

 

Conselho Fiscal:
Jack Miller Gomes da Silva
Marco Antônio Dantas Nunes
Janaina Gudinhola de Oliveira


Suplentes:
Suzana Maria Gedoz
Marcio Silva Alves Pereira
Antonio Carlos Santos de Carvalho

Resultado da Assembleia Extraordinária Sindegtur SP - 21/06/2016

22/06/2016

Caros Guias de Turismo do Estado de SP,

Em Assembleia Extraordinária realizada na data de 21/06/2016, conforme convocação enviada, ficou deliberado por maioria de votos dos Guias de Turismo presentes que o Sindegtur SP retornará à Fenagtur - Federação Nacional dos Guias de Turismo. A filiação à esta entidade será formalizada nos próximos dias.

Conforme participação em AGO da Fenagtur em Maio/2016, o Sindegtur SP firmou o compromisso de, caso voltasse à Federação, atuaria principalmente na frente de estruturação e fortalecimento dos Sindicatos federados, entre demais ações importantes. 

Acreditamos que para contribuir com o fortalecimento da categoria, as ações da Federação devem ser diretamente às entidades sindicais, além de uma gestão transparente e objetiva. Atuaremos presentemente para que estes anseios sejam atendidos.

Atenciosamente,

Sindegtur SP.

10 de Maio - Dia do Guia de Turismo

10/05/2016

Caros Guias de Turismo,

Neste dia 10 de Maio de 2016, aproveitamos para refletir sobre uma das mais importantes e complexas profissões do Turismo. Importante, pois o Guia de Turismo é um agente de desenvolvimento socio-econômico-ambiental quando intermedia a relação entre visitantes e visitados. Complexa, pois a formação e atuação profissional solicita conhecimentos em diversas áreas, habilidades de liderança e comunicação, e grande competência em relacionamento interpessoal.

Sabemos dos desafios que enfrentamos dia a dia em nosso mercado, mas ainda assim, o Guia de Turismo é o responsavel por ultrapassar todos estes obstáculos e realizar seu trabalho com o grande objetivo de atender às expectativas do turista.

Neste dia, além de motivos para comemorar, temos também a responsabilidade de reforçar a consciencia de união da categoria. As conquistas realizadas até agora só foram possíveis graças aos esforços conjuntos de quem acredita que a união faz a força, e a ética a mantém.

Desejamos à todos os Guias de Turismo muito sucesso, trabalho e realizações!

Siindicato Estadual dos Guias de Turismo | Sindegtur SP

Sobre a "Primeira Dama do Ministério do Turismo"

27/04/2016

Não é de hoje a indignação do Sindegtur SP com o Ministério do Turismo. Não são recentes nossas críticas de que o Turismo (seu Ministério) vem sendo tratado como atividade sem importância e moeda de troca para favores políticos.

Num ano em que o Brasil sediará os Jogos Olímpicos e Paraolímpicos, nada mais negligente que não colocar na cadeira do Ministério do Turismo um gestor do mercado turístico, algum profissional com formação e experiência na área.

Ainda assim, fazendo um esforço para dar credibilidade ao novo Ministro Alessandro Teixeira, seu dia inaugural de trabalho dá uma mostra de como seguirá a forma de atuação desta pasta: glamour, sessão de fotos, exibicionismo, manutenção de estereótipos e pouca seriedade.

Esposa do Ministro e aspirante a modelo, Milena Santos utiliza o gabinete oficial da pasta para ostentar poder e luxuria, numa conduta inapropriada que não contribui para melhora da imagem do Turismo, que dirá do Governo.

Não há ilegalidade em sua conduta, mas como em muitas das recentes ações do governo federal, há muita imoralidade.

À Milena Santos, que de forma rasa e superficial se intitula a “Primeira Dama mais bonita do Governo”, temos um recado:

Cara Milena,

Beleza é algo extremamente relativo, e nas esferas mais inteligentes da sociedade, sabe-se que não se mede pela carcaça, mas pelas condutas e posições do sujeito em relação ao mundo que o rodeia. Assim, caso queira ser uma Primeira Dama exemplar, pode seguir alguns conselhos de quem entende de política e de turismo:

1. Organize eventos beneficentes para combater a exploração sexual de crianças e adolescentes em locais turísticos no Brasil.

2. Reforce campanhas de valorização profissional de Agentes de Viagens, Guias de Turismo, Bacharéis em Turismo e Hotelaria, Organizadores de Eventos e demais profissionais da cadeia produtiva.

3. Visite locais degradados pela atividade turística, levando propostas inovadoras de economia criativa a fim de promover a sustentabilidade social, ambiental e econômica do destino.

4. Participe dos eventos do setor turístico e compreenda demanda das empresas e dos profissionais, para levar nossos problemas e sugestões ao seu esposo, Ministro do Turismo.

5. Represente o Brasil no exterior, com mais valorização à nossa cultura, nossas crenças, nossos valores e nossa história, e menos valorização ao nosso corpo.

Sempre à disposição,

Adriana Gradim Perdiza

Presidente

David Carolla
Vice Presidente

Carta Aberta | Sobre o Turismo, o Brasil e o Futuro

29/03/2016

Caros Guias de Turismo e demais Cidadãos Paulistas,


Diante do conturbado momento político e econômico que se encontra o país, e pela histórica conjuntura de desorganização de nosso mercado – sempre colocado à parte das prioridades da nação – o Sindegtur SP (Sindicato Estadual dos Guias de Turismo de São Paulo) se coloca na obrigação de posicionar-se frente à este cenário.


O primeiro ponto, e de fundamental importância, é o esclarecimento de que o Sindegtur SP não possui nem possuirá - diante da atual gestão -ligação, relação ou dependência com qualquer partido político. Esta decisão é fundamental para que possamos tomar nossas ações de forma isenta à politicagem, e sempre com vistas ao mercado e à proteção da categoria de Guias de Turismo.


Não vislumbramos com entusiasmo as ações e forma de condução do país pelo atual governo. Uma gestão que não priorizou o turismo (mesmo nos momentos mais importantes), desde a criação do Ministério do Turismo, um órgão que sempre serviu como moeda de troca de favores políticos. Tal fato pode ser observado pela inoperância quanto à fiscalização e regulação efetiva de toda a cadeia produtiva do turismo, pela qualidade e conexão com o setor de seus principais dirigentes, e a entrada e recente saída (em 28/03/2016) do último ministro, posto e saído do cargo para cumprir coligações partidárias.


Contudo, e ainda conduzidos pelo pensamento legalista, somos contra qualquer indignação seletiva, que priorize ou (des)favoreça partidos ou pessoas. Assim como mostram as recentes manifestações populares, sabemos que a corrupção, as ilegalidades e imoralidades na condução do país estão presentes em praticamente todos os partidos, em todos os níveis governamentais, e na própria população.


Entendemos que o país não passa apenas por uma crise política, mas desencadeada principalmente por uma quebra de valores morais e éticos. Precisamos, de forma urgente, repensar nossa postura como pessoa, profissional e cidadão.


De que forma reivindicar mais trabalho, mais respeito, mais reconhecimento da categoria quanto a própria categoria não se dá à posturas digas?


Como muitos devem ter notícias, realizamos mais uma ação de fiscalização no ultimo dia 24/03/2016, e novamente, nos deparamos com situações que ocorrem há tempos: colegas Guias de Turismo credenciados colaborando os condutores ilegais e agências que fomentam este tipo de crime. Dessa forma, informamos que a facilitação e a indução de condutores ilegais também é crime mediante o Código Penal, e passível de punição, e que o Sindegtur SP tomará providências quanto aos profissionais que colaboram com o exercício ilegal da profissão.


Nunca omitimos a informação de que a filiação à um sindicato é facultativa. Queremos um quadro de associados interessados na união e crescimento da categoria, assim como apreciamos Guias de Turismo a se fortalecerem de forma independente, mesmo não sendo filiados. Assim, não iremos tolerar profissionais com conduta antiética, hipócrita e com ações que visam apenas denegrir a imagem das entidades sindicais.

 

Sempre à disposição para diálogos, debates e esclarecimentos,

 

Atenciosamente,

 

Adriana Gradim Perdiza
Presidente

 

David Carolla

Vice Presidente

Código Sindical

20/01/2016

O Sindicato Estadual dos Guias de Turismo do Estado de SP, Sindegtur SP, informa a todos os Guias de Turismo do Estado de SP que o Código Sindical desta entidade encontra-se REESTABELECIDO. Sendo assim, a geração de GRCSU (Imposto Sindical) não poderá mais ser feira em nome da Fenagtur (Federção Nacional de Guias de Turismo) de acordo com a legislação em vigor.

O Cadastur já foi informado sobre esta atualização e não poderá mais receber a Contribuição Sindical em nome da entidade federal.

A partir deste momento, para pagamento do Imposto Sindical, solicite a GRCSU diretamente ao Sindegtur pelo link: www.sindegtursp.com.br/#!impostosecontribuicoes/cwk0

Lembramos que esta contribuição é obrigatória para toda a categoria, independente de estar ou não filiado ao sindicato.

Carta Aberta aos Guias de Turismo do Estado de SP E a quem mais interessar

07/07/2015

Esclarecemos aos Guias de Turismo do Estado de SP, através desta importante carta, algumas inverdades espalhadas por conversas paralelas sem o devido conhecimento de causas e circunstâncias.

 

Gostaríamos de explicar o funcionamento e organização sindical em nosso país, de acordo com a Constituição e a CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

 

O primeiro passo para se constituir um Sindicato é a abertura de uma Pessoa Jurídica (CNPJ) sem fins lucrativos, com um número mínimo de filiados de um determinado Estado (conforme estabelece a legislação), para depois então, solicitar o Código Sindical junto ao Ministério do Trabalho.

 

Dentro da estrutura sindical, as entidades possuem objetivos diferentes:

1. Sindicatos: Existem para defender os interesses, direitos e deveres de uma determinada categoria profissional.

2. Federações: São formadas pela associação de Sindicatos, sem a obrigatoriedade de filiação dos mesmos, sendo também, uma Pessoa Jurídica sem fins lucrativos, para defender os interesses dos Sindicatos.

3. Confederações: Formada pela livre associação de Federações, sendo também uma Pessoa Jurídica sem fins lucrativos, para defender os interesses das Federações.


Gostaríamos também de deixar claro que a filiação de Pessoas Físicas ou Jurídicas à Sindicatos ou Federações é facultativa.

 

A competência de representação de uma categoria profissional dentro de um Estado é de um Sindicato, pois cabe a ele a representação de legitimidade nas bases territoriais das unidades federativas.

 

O objetivo de uma Federação é auxiliar e organizar os Sindicatos filiados à esta, sendo que são os Sindicatos que elegem a diretoria de uma Federação. Não compete à Federação representar uma categoria profissional diretamente, mas o deve fazer instrumentalizando e estruturando seus sindicatos filiados. Esta representação se dá através de seus sindicatos, portanto. É bom lembrar ainda, que não cabe à uma Federação interferir na organização da categoria profissional de um Estado cujo sindicato não é filiado à entidade federal, de acordo com a legislação vigente.

 

Estas informações são para esclarecer as inverdades proferidas pela Sra. Irma Karla, Presidente da Federação Nacional de Guias de Turismo, em algumas visitas oficiais ao Estado de SP, base territorial do Sindegtur SP, além de calúnias em redes sociais. Sra. Irma Karla alega que o Sindegtur SP, por estar com o Código Sindical suspenso (assim como outros sindicatos do Brasil, inclusive alguns filiados á Fenagtur), não possui legitimidade de representação.

 

Toda Pessoa Jurídica sem fins lucrativos é regida por um Estatuto, que irá orientar a administração e organização da entidade.

 

É fácil acusar e esconder a verdade. No Estatuto da Fenagtur está clara a informação de que quando um Sindicato pretende se filiar, não há como requisito a existência de um Código Sindical, mas apenas o CNPJ. (vide Art. 37, parágrafo 1º. do Estatuto da Fenagtur).

 

Seguindo então pela linha de raciocínio da Sra. Irma Karla, com o Código Sindical suspenso, um sindicato perde a legitimidade. Assim sendo, a diretoria da Federação, na gestão passada, possuía dois sindicatos sem código sindical, resultando assim, numa Federação com atuação irregular.

 

Atualmente, existem quatro sindicatos na diretoria da Fenagtur com o Código Sindical suspenso, resultando, mais uma vez, em uma diretoria sem legitimidade. Isso sem contar os sindicatos membros que nunca possuíram código sindical, como por exemplo, Tocantins e Acre.

 

Com isso, fica incoerente a alegação da falta de representatividade, já que a própria Federação não exige o Código Sindical de seus filiados. Se é um documento tão importante, por que não exigem? Sem código Sindical, não há representatividade, e sem esta, não há Federação. Correto?

 

Apenas avançaremos neste debate quando a diretoria da Fenagtur adotar uma postura ética e transparente com o Sindicatos e os Guias de Turismo, e deixar de lado o objetivo mesquinho de enfraquecer sindicatos não filiados, quando seu real objetivo, deveria ser buscar fortalecer as entidades representativas, para contribuir com a organização do turismo no Brasil.

Esclarecimentos aos Guias de Turismo

25/03/2014

Prezados Guias de Turismo,

 

Visando esclarecer as informações confusas e difusas que circulam pela internet, o Sindegtur SP vem novamente reforçar sua conduta com a categoria e informar:

 

1. Todos os esclarecimentos sobre nossas práticas sempre foram ao máximo transparentes. A situação que estamos vivenciando, com relação ao bloqueio do Código Sindical (e não suspensão do sindicato, como informam erroneamente os mais desinformados) é um entrave burocrático do Ministério do Trabalho, e nada tem a ver com a atuação da entidade. Reforçamos que este bloqueio aconteceu arbitrariamente, pois podemos provar que as argumentações do MTE sobre a falta de documentação de nosso cadastro sindical são incoerentes.

 

Sempre abrimos essa situação aos Guias de Turismo e ao Ministério do Turismo, e juntos, oferecemos alternativas para não paralisar a emissão da Contribuição Sindical, possibilitar a renovação da credencial, e evitar a falência do sindicato. Contudo, muitos Guias de Turismo aceitaram as condições e depois se expõe publicamente reclamando do acordo firmado, o que mostra total falta de conduta ética. Para reclamar que não é respeitado e protegido, primeiro, o sujeito deve respeitar e proteger.

 

Tentamos negociar com a Fenagtur um auxílio para emissão do Imposto Sindical, mas não houve abertura da entidade em promover a sobrevivência do sindicato mais atuante do país, mesmo não sendo filiado à federação. Isso só mostra o jogo de interesse e politicagem desta federação, que coloca suas vaidades acima da defesa do profissional. Assim como é dever do sindicato defender toda a categoria, independente de sindicalização, é dever de uma federação proteger os direitos legítimos de seus semelhantes.

 

2. Nos intriga a falta de coragem que os profissionais têm de falar diretamente com o Sindegtur SP, de reclamar e solicitar esclarecimentos direto na fonte. Preferem se acovardar atrás de uma tela de rede social, falar via terceiros, especular indiretamente, sem propriedade e conhecimento de causa. As pessoas que acusam o sindicato indevidamente devem, antes, possuir a ficha limpa. Uma questão de ética.

 

3. Nada mais incoerente do que cobrar ações e negar investimentos. Nada mais medíocre que achar que uma entidade vai sobreviver sem verba. Desde que assumiu, a atual diretoria nunca fechou as portas a ninguém. Nunca deixamos de prestar contas a quem quis saber, a entender os balanços financeiros do Sindegtur SP, e ver com os próprios olhos para onde vão as contribuições sindical e associativa. Fica aqui o desafio de provar qualquer irregularidade, qualquer indício de desvio de verba, qualquer comprovação das calúnias que são ditas por aí. Contudo, se nada for provado, tenham a honra de rasgar seus diplomas de Guia de Turismo, pois um profissional que por essência deveria promover a união de grupo, prefere incentivar a discórdia, a desunião e o falso moralismo.

 

E já que estamos falando em gestão e em prestar esclarecimentos, gostaríamos de saber do Sr. Wilson Santos como foi participar da diretoria e da gestão mais fraudulenta que a Fenagtur já teve. Ou prove o contrário. Ou argumente o por quê desistiu de liderar a classe, já que fez parte da diretoria do sindicato em seu estado. Ou então, explique aos colegas que “Associação” não possui representatividade de categoria, e como pretende, com isso, mobilizar soluções com uma entidade sem força decisiva. E além de caluniar os sindicatos de um território que não lhe compete, o que fez pela categoria em seu estado?

 

4. Se é da vontade da classe a saída da atual diretoria, organizem-se para isso. Não haverá resistência. Provem que a maioria dos profissionais do Estado de SP está insatisfeita com a gestão, formalizem o pedido de saída, e deixaremos as chaves na portaria. Mas deixaremos também um bilhete a quem ocupar o lugar: “Faça melhor. Ou prepare-se para entrar para a história do Sindegtur SP como um golpista.”

Eleições Sindegtur SP

12/11/2013

De acordo com o Estatuto do Sindicato Estadual dos Guias de Turismo de São Paulo, estão abertas as inscrições para formação de chapas para eleições do triênio 2013/2016 para diretoria do Sindegtur SP.

As chapas deverão ser apresentadas até o dia 18/11/2013, segunda-feira, indicando discriminadamente cargos para:

Diretoria: Presidente, Vice-Presidente Secretário, Suplente de Vice-Presidente Secretário, Vice-Presidente Tesoureiro e Suplente de Vice-Presidente Tesoureiro.

Conselho Deliberativo: 5 membros

Conselho Fiscal: 3 membros

Suplentes: 3 membros

Para os cargos eletivos é necessário comprovar no mínimo 3 anos de sindicalização, e estar quite com as contribuições associativas e sindicais, além do credenciamento junto ao Ministério do Turismo em dia.

Resultado da Reunião do Comitê de Planejamento Copa 2014​

03/09/2013

Olá Guias de Turismo!


Seguem informações resumidas da reunião do Comitê de Planejamento para Copa 2014.

O tema discutido nesta reunião foi MOBILIDADE. A CET apresentou seu planejamento para atuação em dias de jogo: rotas, trajetos, equipe. Também foi apresentado o planejamento do Metrô e da CPTM para ida e retorno das pessoas até o estádio Arena Corinthians.

 

Os dias de jogo na Arena Corinthians serão: 12/06/2014; 19/06/2014; 23/06/2014; 26/06/2014; 01/07/2014; 09/07/2014.

 

A via de acesso que deverá ser utilizada por ônibus para acessar a Arena é: Marginal Tietê, Rodovia Airton Sena, Av. Jacu-Pêssego. A Radial Leste deve ser usada preferencialmente pela imprensa. Para quem vai de Metrô, o desembarque deve ser feito na estação Arthur Alvil, e para quem vai de Trem, o desembarque deve ser feito na estação Itaquera. Os setores dos ingressos no estádio, provavelmente, irão orientar se os espectadores deverão ir de Metrô ou de Trem.

 

Foi discutido, com relação à mobilidade, que a principal diferenciação deste evento para outros que já são realizados na capital, é a presença de autoridades, grande quantidade de jornalistas e turistas estrangeiros. Dessa forma, o tratamento, atendimento e orientações quanto à mobilidade deve ser diferenciado.

Contudo, foi levantado pelo Sindegtur SP (com argumentos engrossados por outras entidades) os problemas de mobilidade não apenas em dias de jogo, mas no atendimento diário aos turistas na cidade: zonas de restrição, utilização dos corredores de ônibus, áreas para embarques e desembarques.

Mesmo com estes questionamentos a CET não foi explícita, tampouco apresentou possíveis soluções para estas dificuldades. Contudo, a vice-prefeita, na conclusão dos trabalhos, ressaltou que a Mobilidade será um tema recorrente nas reuniões, e que buscará soluções para as principais demandas:
1. Lentidão e pouca acessibilidade de passageiros do Aeroporto de Guarulhos para a cidade de São Paulo;
2. Dificuldade de locomoção dos turistas em pontos turísticos e áreas com grande oferta de meios de hospedagem, não só no período da copa, mas permanentemente.
3. Solução para a mobilidade do serviço de taxi.

Ao final, foi exposto que o provável tema da próxima reunião será "Formação, Treinamento e Capacitação", além da discussão de como será a atuação do "Voluntariado" no período da Copa.

No início os trabalhos do Comitê, o Sindegtur SP deixou claro aos membros presentes que será rigoroso com a questão do Voluntariado, não aceitando que pessoas não capacitadas e não habilitadas façam o trabalho do Guia de Turismo, mesmo que voluntariamente.

 

Outros temas que ainda serão discutidos nessas reuniões são: Segurança, zeladoria, limpeza e sinalização.


Atenciosamente,


Adriana Gradim Perdiza
Presidente


David Carolla
Vice Presidente

CARTA ABERTA AOS GUIAS DE TURISMO

Caros Guias de Turismo,


Escrevo para pedir ajuda. Ninguém lidera sem apoio dos liderados. E nós, da diretoria do SINDEGTUR SP, estamos sem apoio. Quem defendemos não nos defende. Quem apoiamos, não nos apoia. Quem respeitamos, não nos respeita. E agora? A situação está insustentável.


Circulou estes dias um e-mail, enviado por um Guia de Turismo Sindicalizado, depondo CONTRA o SINDEGTUR SP, ao disseminar informações incorretas e ilegítimas acerca da Contribuição Sindical (GRCSU). Informações estas que foram amplamente divulgadas e esclarecidas desde o começo desta gestão, em todas as assembleias, em todas as reuniões, no Congresso Paulista realizado ano passado, e à disposição em português claro e objetivo em nosso site.


Tal e-mail contém orientações indevidas quanto à emissão e pagamento da Guia de Recolhimento da Contribuição Sindical Urbana. Impróprias quanto à emissão, visto que o Sindicato é uma entidade privada, e não pode, dessa forma, ter seus dados utilizados a bel prazer, por qualquer pessoa. Assim como seria indevido nós divulgarmos por aí o CPF de nossos sindicalizados. É um documento e um dado privativo, e por isso, deve-se preservar o sigilo e o respeito. É inadequado, ainda, quanto ao valor.


Qualquer criança com conhecimentos básicos de aritmética pode calcular o quanto custa manter uma entidade em funcionamento. Contas de consumo, divulgação, site, provedor de e-mail, serviço de newsletter, anúncios na mídia, telefonia, pagamento de profissionais que oferecem cursos e capacitações, realização de eventos e congressos, visitas técnicas, convênios, etc. Não é preciso muita reflexão para descobrir que instituição nenhuma subsidia esta estrutura toda com contribuições de R$ 5,70 anuais. O caminho mais certo para essa situação é o sucateamento e o fechamento.


As informações foram embasadas em orientações oferecidas pelo Ministério do Turismo, que mais uma vez, se contradiz, tenta legislar e comandar questões que não são de sua competência, e que notadamente não apoia nossa categoria há tempos. Não é porque o órgão emite nossa credencial, que não pode cometer erros em outras instâncias (como comete). Nunca, desde o início desta gestão, foi segredo de que o SINDEGTUR SP não apoia e não é conivente com diversas das ações do MTur. É o ministério que entrega sua credencial em dia? É o ministério que realiza as fiscalizações? É o ministério que defende os guias das agencias que não pagam pelo serviço ou oferecem péssimas condições de trabalho?

Dessa forma, deixo aqui meu pedido de ajuda e reflexão.



Decepcionado, mas não sem esperanças,


David Carolla
Vice Presidente SINDEGTUR SP.

Contribuição Associativa 2013 (apenas para Guias Sindicalizados)

04/03/2013

O SINDEGTUR SP começará a cobrar em Abril a Contribuição Associativa de 2013. Aqueles que quiserem pagar em parcela única com desconto (ficando R$100,00), deverão responder o e-mail que enviamos, até o dia 20/03.
Caso não responda dentro do prazo, será cobrado R$120,00 em 2 parcelas (um boleto de R$60,00 em Abril e outro de R$60,00  em Outubro).
Só serão aceitas as respostas enviadas por e-mail.
Caso não tenha recebido o e-mail sobre o assunto, favor nos informar antes do dia 20/03 que nós reenviaremos.

Emissão das Credenciais de Guia de Turismo pelo MTur

14/02/2013

O SINDEGTUR SP entrou em contato com o Ministério do Turismo para esclarecimentos sobre o atraso na das Credenciais de Guia de Turismo.



O órgão informou que a empresa que ganhou a licitação - que estava em trâmite desde o meio do ano de 2012 - para confecção das credenciais iniciou seu contrato em Dezembro de 2012. Contudo, não iniciou a produção devido às eleições do ano passado, começando então a produção, após as eleições, ou seja, em janeiro de 2013.



Foi informado que estão confeccionando as credenciais do país todo, e por isso, está previsto um atraso na entrega da documentação.



Contudo, tal fato não desobriga os Guias de Turismo de renovarem suas credenciais e para trabalhar, devem portar o Certificado Cadastur que pode ser obtido no site www.cadastur.turismo.gov.br .

Fiscalização de Carnaval 2013

14/02/2013

O SINDEGTUR SP realizou na última sexta-feira véspera de Carnaval (08/02/2013) mais uma ação de fiscalização de exercício ilegal da profissão de Guia de Turismo. A ação ocorreu no ponto de embarque da Rua Vergueiro e contou com apoio da Polícia Militar do Estado de São Paulo, que disponibilizou uma viatura e policiais para acompanhar a ação e agilizar a fiscalização.



Diversos ônibus de viagem contavam com Guias de Turismo regularizados, o que mostra o aumento da demanda por esses profissionais. Contudo, um grupo estava se preparando pára viajar com condutor ilegal, que realizava procedimento de embarque dos passageiros. Com o apoio da PM, o caso foi encaminhado para a Delegacia e realizado um Boletim de Ocorrência por Exercício Ilegal da Profissão (Art. 47 do Código Penal).



Sabemos que há a necessidade de realizar essas ações em outros locais de embarque, além das denuncias pontuais que o sindicato recebe. Buscamos diversificar os pontos de fiscalização, e estamos em constante negociação com o Ministério do Turismo a fim de cobrar essa responsabilidade do órgão.



Agradecemos aos Guias de Turismo que nos ajudaram nesta ação, disponibilizando seu tempo e assumindo esta responsabilidade, demonstrando maturidade e empenho na valorização da nossa profissão.

Esclarecimento sobre obrigatoriedade do recolhimento do INSS

18/05/2011

Atenção Guias de Turismo,



Conforme esclarecimento do Ministério do Turismo, os Guias de Turismo, considerados profissionais autonomos individuais, ficam obrigado a recolher o INSS.



Para o cadastro inicial, não é obrigatório a comporvação deste documento pois deve ser recolhido apenas após o inicio da atividade profissional.



Contudo, na renovação da credencial de Guia de Turismo, o profissional deve comprovar, em cópia autenticada, o recolhimento do INSS.



Quem possui vínculo empregatício pode apresentar a Carteira de Trabalho, comprovando o recolhimento por qualquer outro tipo de registro em carteira, não apenas o de Guia de Turismo.



Desta forma, o entendimento do Ministério do Turismo e Ministério da Previdência Social fica entendido que: São segurados obrigatórios da Previdencia Social os empregados (carteira assinada) e os contribuintes individuais (autonomos - Guias de Turismo).

Para os Guias de Turismo que trabalham como autonomos, onde as agencias e operadoras fazem o desconto do INSS no pagamento das diárias, devem exigir destas empresas o extrato de recolhimento do INSS para comprovar ao MTur, desta forma, não precisam recolher por conta própria. Quem não é descontado no pagamento das diárias, deve recolher por conta própria através do carne GPS (Guia de Previdência Social - Talão Laranja).

Dia do Guia de Turismo

10/05/2011

Em reunião organizada pelo SINDEGTUR-SP, foi comemorado o Dia do guia de Turismo. Esse profissional que é capacitado para orientar grupos e unir emoções,  trabalha muitas vezes em situações adversas a de pessoas comuns.   Grandes comemorações são o palco de trabalho desse, que na maioria das vezes esquece seu lado pessoal para acompanhar pessoas em viagens festivas. Natais, revelions,feriados prolongados e datas comemorativas muitas vezes pessoais, são esquecidas para atender a grupos que anseiam por dias de laser e felicidade. 

A você Guia, que se viu em situação parecida a essa, lembre sempre que a moeda da troca em nossa profissão  é o prazer do dever cumprido e a felicidade estampada no rosto de cada um ao se despedir.Poder ter em sua profissão não só clientes e amigos mas uma família que ao te ver chora, ri,  sente saudades e você pode retribuir com toda ética aprendida em longas horas do curso de guia a ser um profissional amigo, confidente e guardião da chave da felicidade.



Parabéns guia por deixar saudades por anda passa!


Sejamos nós as Estrela que ilumina o coração das pessoas e as guiem por dias de mais luz e alegria!

Fiscalização e Averiguação na Rodovia Castelo Branco

09/04/2011

Nesse sábado 09 de abril o SINDEGTUR-SP, Regional de Campinas esteve presente na Rodovia Castelo Branco, município de ITU,  em mais uma das tantas ações de fiscalização que vem ocorrendo no estado de São Paulo. Motorista, agentes de viagens e guias de turismo foram orientados e esclarecidos da necessidade da presença do guia e da regularização do profissional. Essas atividades serão constantes e regulares em benefício da categoria e dos amigos turistas.



As ações e abrangência dos trabalhos do SINDEGTUR SP no interior do Estado de SP só é possível graças a presente e competente atuação de nossos Diretores Regionais. Nesta ação em Itu, estiveram presentes o Diretor Regional de Campinas, Luis Carlos Negri, e seu Vice Diretor Guilherme Guarnieri. Além das fiscalizações, eles estão sempre à disposição para auxiliar e representar os Guias de Turismo dessa região.

Atenção Guias de Turismo - Mensagem de máxima importância!

01/04/2011

Nós, do Sindicato Estadual dos Guias de Turismo de São Paulo (SINDEGTUR SP), estamos passando por situações constrangedoras e complicadas com relação ao mercado de Guias de Turismo.



Recebemos diariamente telefonemas e e-mails de Guias de Turismo reclamando da falta de trabalho. Sabemos que o mercado está difícil, que algumas agências e operadoras não pagam valores justos, que existem os condutores ilegais. Acreditem: trabalhamos duro diariamente para resolver estes problemas negociando com o trade, fiscalizando, oferecendo oportunidades e capacitação para maior inserção do Guia de Turismo no mercado.



Contudo recebemos também, quase diariamente, reclamações de agências, operadoras e turistas sobre a incompetência e falta de conduta ética de alguns Guias de Turismo. Não estamos falando dos condutores ilegais, mas dos Guias de Turismo que fizeram curso de formação e possuem credenciamento para exercer a profissão.



É constrangedor e ficamos sem palavras ao tentar argumentar com as agências para a contratação de Guias de Turismo, quando nos respondem que contrataram Guias que faltaram com o dever profissional, não possuíam apresentação profissional condizente, utilizavam linguajar inadequado, corrompiam e roubavam seus clientes para outras empresas, além de situações piores, que temos vergonha de aqui citar.



Mesmo que esta mensagem não se aplique à você, faça uma auto-crítica. Pedimos encarecidamente que:

.: Aceite críticas e sugestões para melhoria de seu trabalho, assim como certamente aceita os elogios.
.: Reveja suas técnicas de trabalho e seus conhecimentos sobre o turismo. Recicle-se sempre.
.: Participe de cursos e programas de aperfeiçoamento e capacitação profissional. Não fique estagnado em seus conhecimentos.
.: Releia a Lei do Guia de Turismo (Lei 8623/93) e o Código de Ética do Guia de Turismo. As maiores reclamações que recebemos é sobre a falta de conduta ética dos profissionais contratados.

Estamos consternados e envergonhados ao saber que alguns colegas agem de maneira incompatível com a profissão. É incoerente tentarmos dignificar nossa imagem e reputação profissional, quando alguns ainda insistem em denegrir toda uma categoria.



Dessa forma, antes de reclamar da falta de trabalho, responda às seguintes perguntas:

- Você se comunica BEM em português? E em outros idiomas?
- Como são as roupas que você usa para conduzir grupos? São adequadas ao exercício da profissão?
- Você veste a camisa da empresa que te contratou? Ou atua de maneira corrupta, roubando passageiros para outras empresas?
- Enquanto trabalha, você mantém relacionamento profissional com seus clientes? Resolve com profissionalismo situações constrangedoras de assédio, consumo de bebidas alcoólicas, recebimento de comissões?
- Quais foram os últimos cursos de capacitação que você freqüentou? Está atualizado e bem preparado?



Se você presenciou ou sabe de alguma situação de conduta irregular de um Guia de Turismo, denuncie. Não deixe que uns profissionais mal preparados e pouco capacitados sujem a imagem dos outros. Mostre seu potencial, trabalhe corretamente e conquiste seu lugar ao sol, deixando assim à sobra os ditos profissionais que não merecem nosso respeito, pois assim, nos desrespeitam.



Contamos com a colaboração de todos.



Atenciosamente,



Adriana Gradim Perdiza

Presidente

 

David Carolla

Vice-Presidente

Fiscalização e averiguação do exercício ilegal da profissão de Guia de Turismo

29/01/2011

Com o apoio da Polícia Militar Rodoviária,  a  presença da presidente do Sindicato Estadual de Guias de Turismo de São Paulo, Adriana Gradim Perdiza, do vice presidente David Carolla e guias da região de Campinas, foi realizado nessa data (29 janeiro 2011), no km 85 da rodovia dos Bandeirantes, fiscalização e averiguação do exercício ilegal da profissão de Guia de Turismo. 

O evento teve apoio dos policiais e escrivães do Primeiro Distrito Policial de Campinas, localizado na avenida Andrade Neves, onde foram efetuados os Boletins de Ocorrências contra 2 condutores ilegais.

A finalidade dessa averiguação é orientar a todos sobre a ilegalidade do exercício indevido das funções, atividade e atribuições de Guia de Turismo. O Guia de Turismo é o único profissional do mercado turístico regulamentado por lei (8.623/93).

Essa foi mais uma das muitas fiscalizações que o SINDEGTUR SP vem realizando em todo estado de São Paulo e outras que em futuro próximo serão realizadas.

Sindegtur SP realiza fiscalização em Cotia

26/11/2010

O SINDRGTUR SP (Sindicato Estadual de Guias de Turismo de São Paulo), em mais uma ação em prol da categoria de Guias de Turismo, realizou mais uma fiscalização de exercício da profissão. Após denuncia realizada ao SINDEGTUR SP, de ônibus de viagem saindo com condutores ilegais, a fiscalização realizada em 26/11/2010 em Cotia levou à delegacia 3 condutores ilegais da Associação Rejuvenecer de Cotia, que realiza viagens regularmente sem a utilização de Guias de Turismo Credenciados.

Baseado no Art. 47 do Código Penal, o delegado lavrou o Boletim de Ocorrência sob a denuncia de Exercício Ilegal da Profissão contra 3 pessoas que conduziam os ônibus com destino à Curitiba. A viagem prosseguiu normalmente, mas o inquerito será instaurado e correrá processo criminal.

Esta ação mostra a importância da participação dos Guias de Turismo na defesa de sua categoria. Denuncie, e contribua com o SINDEGTUR SP para coibir falsos condutores e proteger a sua profissão.

Sindegtur SP realiza fiscalização no Porto de Santos

16/11/2010

Em 15/11/2010 o Sindicato Estadual de Guias de Turismo de São Paulo realizou fiscalização no Porto de Santos para denunciar o exercício ilegal da profissão de Guia de Turismo.

Diversos ônibus que realizavam transfer de chegada e saída de passageiros dos cruzeiros marítimos eram conduzidos por pessoas não credenciadas junto ao Ministério do Turismo para realizar estas funções. Os Guias de Turismo do SINDEGTUR SP, nesta primeira ação em Santos a favor da categoria, orientaram os condutores ilegais e seus passageiros sobre o crime de exercício ilegal da profissão, segundo o artigo 47 do Código Penal. Foram conscientizadas também as empresas de receptivo local e os funcionários do Porto de Santos. "Em uma próxima fiscalização, já não haverá mais orientação. Chamaremos a polícia, que está a nosso favor, e os condutores ilegais serão presos", informou Adriana Gradim Perdiza, Vice-Presidente do SINDEGTUR, que coordenou a ação de fiscalização.

Em outras oportunidades, como o feriado de 1o. de Maio, de 12 de outubro e 2 de Novembro, o SINDEGTUR SP também realizou fiscalizações em São Paulo, nos principais pontos de embarque de roteiros turísticos: Estações Vergueiro, Ana Rosa e Barra Funda. A Vice-Presidente ainda complementa: "Em São Paulo, temos uma maior consciência das agencias e operadoras, visto que a quantidade de condutores ilegais era bem menos do que em Santos. Aos poucos, a fiscalização do SINDEGTUR chegará a todos os principais pontos turísticos do Estado de SP".

Primeira Jornada de Aperfeiçoamento Profissional Sindegtur SP

14/06/2010

Foi realizado em São Paulo a Primeira Jornada de Aperfeiçoamento Profissional Sindegtur SP, nos dias 12 e 13 de junho, na sede da ABL e Associados.

Participaram Guias de Turismo de São Paulo, interior e  litoral, sindicalizados e não sindicalizados, que aproveitaram para aprender, trocar informações, conhecer outros profissionais. Os cursos ministrados foram Necroturismo, com a Profa. Angela Arena, Técnicas Profissionais, com o Prof. David Carolla, e Ética e Legislação, com a Profa. Adriana Gradim Perdiza - Vice Presidente do SINDEGTUR SP.

Confira o que os participantes acharam do evento:

"Caros Colegas,
Obrigada a todos pela ótima companhia do final de semana. Aos palestrantes, obrigada por dedicar seu tempo e dividir seus conhecimentos! Foi muito produtivo e, com certeza, os que vieram perderam. Parabéns ao Sindicato por mais esta iniciativa! Um Abraço, Suzi." - Suzana Gedoz - Guia de Turismo.

Sindegtur recebe apoio da PM e da Polícia Civil

05/05/2010

A Polícia Militar e a Polícia Civil darão apoio aos Guias de Turismo em relação a sua legislação.

A PMSP fará sensibilização de seus oficiais para divulgar nossa categoria em resultado de ofício enviado a  Ouvidoria de Segurança Pública do Estado de São Paulo, denunciando o desconhecimento e a negligência da Polícia.

O mesmo ofício foi para a Polícia Civil, portanto, a partir de agora, as delegacias devem cumprir seu dever de registrar um boletim de ocorrência sempre que houver uma denuncia de exercício ilegal da profissão de Guia de Turismo.

Parabéns a nós!

Please reload